Buscar Imóveis
Home » Blog

Blog

CUB e INCC, o que significam?

07 Qui
Fev
CUB e INCC, o que significam?

     Quando você pensa em comprar um apartamento na planta, você se depara com algumas siglas, como INCC e CUB. E então, você sabe o que elas significam?

     O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) e o Custo Unitário Básico da Construção (CUB) são os índices de correção utilizados para reajustar as parcelas dos imóveis comprados na planta ou em construção até a conclusão da obra.

     O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) é calculado e acompanhado pela Fundação Getúlio Vargas em sete capitais do Brasil, (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre, Recife e Brasília).  Ele apura, mensalmente, toda mudança dos valores da matéria prima da obra, a mão de obra e os preços dos materiais utilizados na construção civil. Este índice abrange desde o primeiro até o último dia do mês, e deve ser divulgado até o dia 15 do mês seguinte.

      Já o Custo Unitário Básico (CUB), índice que também tem como objetivo medir os custos básicos da construção civil, aponta a variação mensal dos preços de materiais e da mão de obra, através de metodologia instituída pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Tendo como base tal metodologia (NB-140), o Sindicato da Indústria da Construção (Sinduscon) de cada estado do Brasil se responsabiliza por realizar a sondagem das variações mensais dos preços na sua região de abrangência, e chegar ao cálculo do CUB do mês. Por lei, este índice deve ser divulgado até o 5º dia útil do período posterior à sondagem.

    Como visto, ambos são indexadores de correção mensais e medem custos. Porém, o INCC é nacional e tem como objetivo mensurar os preços de uma cesta de serviços, materiais e equipamentos da construção, a fim de corrigir prestações de imóveis adquiridos na planta ou em construção. O CUB é regional, estratificado por padrão construtivo e pretende fundamentar orçamentos e contratos de obras públicas e privadas.

     Vale lembrar que nenhum desses índices pode ser aplicado para reajustar prestações após a conclusão de um imóvel, justamente porque, uma vez o imóvel pronto, não precisa mais de materiais e de mão de obra da construção civil, sendo assim, seu custo não sofre com a oscilação dos preços desses produtos e serviços. A partir de pronto, e com a expedição do habite-se, outros índices devem ser aplicados. Atualmente o indexador mais utilizado é o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado).

Categoria: Informativo

Tags: cub, incc, imóveis, construção civil,


Comentários:

Deixe seu Comentário: